Destaques
  Memórias Paroquiais de Casal Vasco 1758
Publicado: 2010-07-27
Memórias Paroquiais de Casal Vasco
As memórias paroquiais são as respostas dos Párocos das diversas freguesias de Portugal ao interrogatório mandado fazer pelo Marquês de Pombal em 1758, com a intenção de avaliar os estragos causados pelo terramoto de 1755.
De seguida iremos apresentar a memória paroquial de Casal Vasco, que se encontra transcrita em letra normal. A negrito foram acrescentadas as perguntas do interrogatório para facilitar a sua leitura e compreensão. É possível que existam erros de transcrição! As imagens das memórias paroquiais podem ser vistas na galeria de imagens, em Memórias Paroquiais.
Esta é uma forma temporária de divulgar estes valiosos textos.

O que se procura saber dessa terra é o seguinte:
Venha tudo escrito em letra legível, e sem breves.
I
Resposta aos interrogatórios de Sua Majestade Fidelíssima
1. Em que província fica, a que bispado, comarca, termo e freguesia pertence?
Esta terra fica na província da Beira Alta, no bispado de Viseu, da comarca da vila de Linhares, e de termo da Vila de Algodres Freguesia de Nossa Senhora da Assunção.
2. Se é d’el-Rei, ou de donatário, e quem o é ao presente?
Pertence à Sereníssima Casa do Infantado como também apresentação dela.
3. Quantos vizinhos tem, e o número de pessoas?
Tem esta terra cinquenta e nove vizinhos, pessoas maiores cento e cinquenta e menores trinta e seis.
4. Se está situada em campina, vale, ou monte e que povoações se descobrem dela, e quanto distam?
Esta situada numa campina plana e dela se não descobre mais que uma pequena povoação que se chama Rancozinho que dista quase um quarto de légua. Como também outra Ermida chamada Senhora do Bom Sucesso da Vila das Chãs em uma terra que corre do nascente ao poente distante desta terra quase outra légua.
5. Se tem termo seu, que lugares, ou aldeias compreende, como se chamam, e quantos vizinhos tem?
Mantém termo sobre si mas sim pertence a Vila de Algodres.
6. Se a Paróquia está fora do lugar, ou entro dele, e quantos lugares, ou aldeias tem a freguesia, e todos pelos seus nomes?
Tem igreja e está fora do lugar, não tem mais que uma quinta pertencente a este dito povo que tem somente três vizinhos e chama-se a Quinta das Moitas.
7. Qual é o seu orago, quantos altares tem, e de que santos, quantas naves tem; se tem Irmandades, quantas e de que santos?
É esta igreja Orago de Santo António tem três altares, o de Santo António que é Altar-mor e dois colaterais, um de Nossa Senhora do Rosário para a parte do Evangelho e outro de São Sebastião para a da Epistola, não tem naves, tem uma irmandade erecta na mesma igreja chamada de Santo António.
8. Se o Pároco é cura, vigário, ou reitor, ou prior, ou abade, e de que apresentação é, e que renda tem?
O Pároco desta igreja é cura anual cuja apresentação pertence ao Vigário da vila de Algodres, não tem renda mais do que seis mil e quinhentos Reis que lhe da afomenda.
9. Se tem beneficiados, quantos, e que renda tem, e quem os apresenta?
Não tem beneficiados.
10.Se tem conventos, e de que religiosos, ou religiosas, e quem são os seus padroeiros?
Não tem conventos.
11.Se tem hospital, quem o administra e que renda tem?
12. Se tem casa de Misericórdia, e qual foi a sua origem, e que renda tem; e o que houver de notável em qualquer destas coisas?
Não tem hospital nem Misericórdia.
13. Se tem algumas ermidas, e de que santos, e se estão dentro ou fora do lugar, e a quem pertencem?
Tem esta terra três capelas, uma da Senhora da G raça que esta em cima do povo, outra no fundo chamada de Senhora da Encarnação, e outra que fica fora do povo no caminho que vai para a Igreja que é chamado Senhor Santo Cristo do Loureiro, tem esta uma Irmandade erecta em mesma capela com o titulo do mesmo Senhor e pertencente ao mesmo povo.
14. Se acode a elas romagem, sempre, ou em alguns dias do ano, e quais são estes?
Deste nada.
15. Quais são os frutos da terra que os moradores recolhem com maior abundância?
Os frutos em mais abundância são centeio e milho.
16. Se tem juiz ordinário, etc., câmara, ou se está sujeita ao governo das justiças de outra terra, e qual é esta?
Esta sujeita às justiças da vila de Algodres.
17. Se é couto, cabeça de concelho, honra ou behetria?
Deste nada.
18. Se há memória de que florescessem, ou dela saíssem, alguns homens insignes por virtudes, letras ou armas?
Deste nada.
19. Se tem feira, e em que dias, e quanto dura, se é franca ou cativa?
Tem uma feira a treze de Junho e não dura mais que uma de Franca.
20. Se tem correio, e em que dias da semana chega, e parte; e, se o não tem, de que correio se serve, e quanto dista a terra aonde ele chega?
Não tem correio mas serve-se do que vai da Vila de Algodres para a de Viseu que passa daqui meia Légua.
21. Quanto dista da cidade capital do bispado, e quanto de Lisboa, capital do Reino?
Desta vista da cidade de Viseu capital do Bispado cinco léguas e da de Lisboa Capital do Reino cinquenta e duas.
22. Se tem algum privilégio, antiguidades, ou outras coisas dignas de memória?
Deste nada.
23. Se há na terra, ou perto dela alguma fonte, ou lagoa célebre, e se as suas águas tem alguma especial virtude?
Deste nada.
24. Se for porto de mar, descreva-se o sitio que tem por arte ou por natureza, as embarcações que o frequentam e que pode admitir?
Deste nada.
25. Se a terra for murada, diga-se a qualidade dos seus muros; se for praça de armas, descreva-se a sua fortificação. Se há nela, ou no seu distrito algum castelo, ou torre antiga, e em que estado se acha ao presente?
Deste nada.
26. Se padeceu alguma ruína no terramoto de 1755, e em quê, e se está reparada?
Não padeceu ruína no terramoto do ano de mil setecentos e cinquenta e cinco.
27. E tudo o mais que houver digno de memória, de que não faça menção o presente interrogatório.
Deste Nada
II
Serra
O que se procura saber dessa serra é o seguinte:
1 – Como se chama?
Chama-se esta Serra da Raza.
2 – Quantas léguas tem de cumprimento, e quantas de largura; onde principia e onde acaba?
Terá meio quarto de légua, principia do nascente e finda para o poente.
3 – Os nomes dos principais braços dela?
Deste nada.
4 – Que rios nascem dentro do seu sitio, e algumas propriedades mais notáveis deles; as partes para onde correm, e onde fornecem?
Deste nada.
5 – Que vilas e lugares estão assim na serra, como ao longo dela?
Deste nada.
6 – Se há no seu distrito algumas fontes de propriedades raras?
Deste nada.
7 – Sé há na serra minas de metais, ou canteiras de pedras, ou de outros materiais de estimação?
Deste nada.
8 – De que plantas, ou ervas medicinais é a serra povoada, e se se cultiva em algumas partes, e de que géneros de frutos mais abundante?
Deste nada.
9 – Se há na serra alguns mosteiros, igrejas de romagem, imagens milagrosas?
Deste nada.
10 – A qualidade do seu temperamento?
Se está fria de seu temperamento.
11 – Se há nela criações de gados ou de outros animais ou caça?
Deste nada.
12 – Se tem alguma lagoa, ou fojos notáveis?
Deste nada.
13 – E tudo o mais que houver digno de memória.
Deste nada.
III
Rios
O que se procura saber do rio dessa terra é o seguinte:
1 – Como se chama, assim o rio, como o sitio onde nasce?
Não tem rios.
2 – Se nasce logo caudaloso, e se corre todo o ano?
Deste nada.
3 – Que outros rios entram nele, e em que sitio?
Deste nada.
4 – Se é navegável, e de que embarcações é capaz?
Deste nada.
5 – Se é de curso arrebatado, ou quieto, em toda a sua distância ou em parte dela?
Deste nada.
6 – Se corre de Norte a Sul, se de Sul a Norte, se de Poente a Nascente, se de Nascente a Poente?
Deste nada.
7 – Se cria peixes, e de que espécie são os que traz em mais abundância?
Deste nada.
8 – Se há nele pescarias e em que tempo do ano?
Deste nada.
9 – Se as pescarias são livres, ou de algum senhor particular, todo o rio, ou em alguma parte dele?
Deste nada.
[10 a 19 – Não respondeu] *
20 – E qualquer outra coisa notável que não vá neste interrogatório?
Nem deste nem dos que lhe mais que lhe seguem nem do que dizer nem do que se procura.

Casalvasco, Sete de Maio de 1758
D. Carlos António de Guimarães
© Copyright Freguesia Casal Vasco 2008-2017